Siga o Copo

Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Machismo não tem mais espaço no mundo da cerveja

Juliana Simon

14/02/2019 13h11

Este espaço normalmente destinado a matérias do mundo da cerveja e de outras bebidas, hoje servirá para declarar com todas as letras que MACHISMO NÃO TEM MAIS ESPAÇO NO MUNDO DA CERVEJA.

O motivo? Um comentário muito infeliz – seguido de outros igualmente vergonhosos – para a divulgação da brassagem de uma cerveja feita por mulheres das cervejarias Dádiva, Japas e Hildegard para o Dia Internacional da Mulher.

Não vamos mostrar o rostinho, nem o nome do querido desconhecedor do cenário cervejeiro, que todos os dias revela mulheres nas panelas, nas cervejarias nano, micro, gigantescas, na sommelieria, na educação cervejeira, à frente de balcões e atrás deles.

Ao invés disso, o Siga o Copo vai colocar aqui, de coração, copo e alma, todo seu apoio às mulheres cervejeiras e assinar embaixo da resposta publicada no perfil do Facebook da cervejaria:

"É realmente lamentável receber este tipo de comentário machista e sexista. Comentário triste atrás de comentário. A Dádiva, Japas e Hildegard repudiam qualquer tipo de machismo, seja na cerveja, seja em qualquer situação. Não vamos gastar o nosso tempo com quem tenta se "defender" com comentários ainda mais preconceituosos, e, de novo, o que só piora a situação.

Neste comentário só queremos lembrar, a quem precisa ser lembrado, que:
1. Lugar de mulher é onde ela quiser, fazendo o que ela quiser
2. Feminismo é a luta por equidade entre homens e mulheres
3. A Dádiva, Japas e Hildegard levantam a bandeira do feminismo SIM e, pelo que percebe-se, precisamos continuar levantando, porque ainda tem muita gente desavisada neste mundo
4. Vai sair uma cerveja foda, feita por mulheres, destas panelas muito bem limpas por mulheres cervejeiras sim
5. Resistiremos!

Beijos"

E além disso dar algumas provas – aqui sim em forma de matérias – de que insistir na divisão de gêneros e na ridicularização de pessoas que batalham por um mundo e um universo cervejeiro mais diverso, gostoso e consciente é só triste, mas NUNCA limitador ou intimidante.

São as mulheres (oba!): Anne é a campeã do Eisenbahn Mestre Cervejeiro

Mulheres estão entre as participantes de reality de cerveja caseira

No campo divino, cerveja conta com muita proteção feminina

É o fim da "loira gelada"? Cervejarias "acordam" para o público feminino

"A gente é a revolução": Mulheres contam como é trabalhar com cerveja

Cerveja melhor que político? No Outubro Rosa, ela faz a diferença

Confraria feminina brasileira sai no "eixo do lúpulo" e vai ganhar o mundo

Cervejas de mulher vs. cervejas de homem

Monja "mãe do lúpulo" é mais uma a provar que cerveja é coisa de mulher

Iniciativas cervejeiras para celebrar o dia (mês, ano e vida) das mulheres

E tem para quem não é da cerveja também, tá?

Adriana Pino, a mulher escolhida como melhor bartender de 2018

Siga o copo (de uísque!); destilado está ganhando o público feminino

Em destaque no mundo das taças, mulheres são a realeza dos vinhos

 

Em cada bebida que vocês tomarem, caros comentaristas machistas, terá uma ou várias mulheres incríveis por trás.

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.