Siga o copo


Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Centenário, Negroni é clássico, pop e drinque para todos os gostos

Juliana Simon

2026-06-20T19:12:23

26/06/2019 12h23

Vermute, gin e Campari em perfeito equilíbrio. Para os bons bebedores, essa fórmula é traduzida como o clássico Negroni.

No ano em que essa combinação chega aos 100 anos de vida, o Siga o Copo celebra a história, curiosidades, o maior expert sobre o assunto e ainda joga aí para você, leitor, a oportunidade de conhecer novas combinações – e quem sabe tentar em casa.

Veja também

Passado nobre

Florença, 1919. A pedido do Conde Camilo Negroni (ARRÁ), o bartender Forsco Scarselli deu uma poderosa calibrada no drinque Americano. No lugar de soda, gin. Ao invés de limão, uma rodela de laranja. Nasceu o Negroni.

Viajado e influente, o conde espalhou a novidade rapidamente e o drinque se espalhou pela "Bota". Em 100 anos, ele ganhou o mundo como um coquetel italiano marcante e cheio de paixão. MA CHE!

Pop e arte

É o segundo drinque mais popular do mundo… perdendo somente para o Old Fashioned.

O drinque tem um pé no mundo das artes. Na época, a Itália vivia o clima do Futurismo, movimento criado pelo poeta italiano F.T. Marinetti, que defendia a invenção, a velocidade, a produção e a indústria. Tendo uma marca como ingrediente oficial (Campari), nada mais apropriado.

James Bond adora… como visto no filme Somente Para Seus Olhos (1981);

Anthony Bourdain era apaixonado… e considerava o Negroni o "drinque perfeito";

Ernest Hemingway era tão doido por Negroni que batizou um de seus nove cães com o nome da combinação. Além disso, o coquetel é citado em uma de suas obras: Na Outra Margem, entre as Árvores (1950).

O "homem do Negroni"

Em rápida passagem ao Brasil, o bartender chefe do Café Gilli e maior entendedor do drinque no mundo, Luca Picchi contou que só tomou seu primeiro Negroni "de verdade" depois dos 20 e poucos anos e, desde então, viu a combinação se espalhar pelo mundo e virar uma superestrela da coquetelaria da Europa, às Américas e até mesmo na Ásia.

Está atrás do Negroni perfeito? O gelo é a real obsessão de Luca ao comentar o que considera um drinque de qualidade.

"Negroni precisa da diluição perfeita, feito com um gelo puro. Se tiver como, copo e acessórios para fazer o drinque devem estar gelados. Sem isso a diluição é excessiva e o drinque fica sem gosto", dá a dica. Além disso, os ingredientes devem ser estudados desde a gradação alcoólica às quantidades de cada um dos itens. Para cada detalhe, uma variação surge e o truque é buscar o equilíbrio sempre. Ciência – e um pouco de mindfullness -, amigos.

Um apaixonado pela história do drinque, Luca se diverte com as várias regiões que reclamam pela maternidade do Negroni e conta que, para ele, resgatar a aura da época da criação do drinque é essencial.

"É interessante evocar à época com copos vintage. É como criar uma pequena máquina do tempo. O drinque fica melhor", recomenda.

Sobre as variações, Luca defende a estrutura clássica do Negroni. "A receita original é perfeita. Não invente com mais de duas mudanças aqui e ali", diz.

Como fazer o Negroni clássico

30 ml Campari

30 ml vermuth

30 ml Gin

Misturar e servir em um copo geladinho, como já disse Luca.

Mais ideias para brincar

Em plena Negroni Week, que acontece entre os dias 24 e 30 de junho em mais de 150 bares e restaurantes de todo o Brasil e em mais outros vários locais pelo mundo, você pode fazer seu "Negroni Crawl" nos locais indicados pelo site.

Se não tiver a oportunidade de provar um ou todos no evento especial, o Siga o Copo entrega algumas receitas de destaque do drinque:

Caulí (bartender: Sylas Rocha)

Ingredientes:
1 parte de Campari

1 parte de Cinzano 1757

1 parte de Appleton Estate infusionado com avelãs, macadâmia e nib de cacau

Modo de preparo:
Mexer, servir em copo com gelo + zest de laranja

Candeeiro (bartender: Laercio Zulu)

Ingredientes:

30 ml de Campari

20 ml de Cinzano 1757

10 ml de Fernet Branca

30 ml de Gin

A mistura vai em barril de bálsamo com capacidade de 2 litros. Repouso por 2 semanas. Servido em copo médio com gelo, perfume de cacau com coco seco para finalizar.

E não é só isso…

Esse blog nasceu sob o signo de Ninkasi e até mesmo o coração cervejeiro ganhou um toque de Negroni pelas mãos da Avós, que ao lado da Difford's Guide Brasil e apoio da Campari, elaborou uma Baltic Porter maturada em barril de carvalho americano, onde descansou um típico Negroni.

A partir de terça, dia 25 de junho, o lançamento estará plugado na Casa Avós e lá também pode ser comprada a versão engarrafada – que vem em um kit limitado a 100 unidades com caixa de madeira e um copo especial – a R$ 135.

A mineira Wäls também mostra que a aposta na combinação e, numa produção conjunta com Dante NYC, criou o Chopp Sbagliato, que leva Wäls Dubbel misturada com Negroni.

Oito casas receberão essa criação exclusiva durante a Negroni Week: Astor SP, Astor JK, SubAstor, Bar do Cofre, Bráz Trattoria, ICI Brasserie (Bela Cintra) e Câmara Fria, em São Paulo; e Astor RJ, no Rio de Janeiro.

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.