Siga o Copo

Em Lynchburg, a terra de Jack Daniel’s, a famosa Lei Seca nunca acabou

Juliana Simon

18/06/2018 09h07

Hoje é dia de falar de outros copos. Desta vez dos de whiskey.

Uma perguntinha: o que te servem no fim da visita a uma destilaria da bebida? Segura a resposta. Ela pode ser bem menos óbvia, ao saber que a famosa Lei Seca, implementada de 1920 a 1930 nos Estados Unidos, nunca acabou em alguns lugares.

Entre eles, a cidade de Lynchburg (Tennessee), com 600 habitantes, um farol de trânsito, Lei Seca e casa da destilaria Jack Daniel’s desde sua fundação em 1876.

Mas como na terra de uma das bebidas mais famosas do planeta existe lei seca?

“Algumas pessoas dizem que, pelo fato de Lynchburg ter tão poucos habitantes, eles não tem o quórum mínimo para realizar uma votação e acabar com essa lei. Mas a realidade é que os moradores de Lynchburg se sentem à vontade com isso e, nem se pudessem, votariam para ‘derrubar’ a Lei Seca”, conta Caio Almeida, gerente de marca de Jack Daniel’s.

Mas proíbem a venda de… bem… bebida?!?!

Não é bem assim. Em mais de 150 anos de história, a Jack Daniel’s hoje consegue “burlar” a lei e vender garrafas comemorativas em sua destilaria.

Para quem passar pela cidade, há a oportunidade histórica de saber mais sobre o Mr. Jack e como ele iniciou a marca. E para que quer mesmo é saber mais sobre produção do whiskey, é uma chance de conhecer, por exemplo, o processo de Charcoal Mellowing, que suaviza cada gota entre 3 metros de carvão vegetal.

Por que isso é um destaque? Essa etapa determina que Jack Daniel’s, ao contrário do que muita gente brada por aí, não seja um Bourbon, mas um Tennessee Whiskey, sensorialmente mais suave.

E sim, sua resposta lá do começo estava certa. Ao final da visita, oferecem o famoso whiskey ao lado de um mestre destilador e a lei seca torna-se um interessante folclore, já que o mundo todo bebe as gotas produzidas em uma pequena cidade onde elas são ditas ainda proibidas.

Lemmy abençoou este post

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o Blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Universa
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Siga o Copo
Topo