Siga o Copo

Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Meu Dia da Cerveja: como eu, Juliana Simon, vim parar aqui

Juliana Simon

02/08/2019 09h02

Contar a história de como eu, Juliana Simon (a Siga o Copo, para os íntimos), parei nesse mundo cervejeiro é a maneira que encontrei para comemorar esse Dia Internacional da Cerveja (que contei o motivo de existir aqui, no ano passado).

Senta que lá vem história…

Meu primeiro contato com a "instituição" cerveja tem registro fotográfico. Não, meus pais não me davam álcool na infância. Sim, sou nascida nos anos 80, uma década em que tinha gente pelada na TV todo dia, em que não era obrigatório cinto de segurança e que brincar não dependia de telinha. Mas enfim…

Fui beber minhas primeiras cervejas depois da maioridade e dá-lhe "mainstream": Skol, Antártica, Itaipava, Bohemia quando tinha um dinheiro a mais. Tive minha fase "só bebo puro malte", Heineken, Serra Malte… cervejas que não são mais as minhas favoritas, mas sempre estão no meu "engradadinho da confiança".

Com 20 e poucos anos, conheci gente que me deu minha primeira cerveja de trigo (obrigada, Mac Costa), que me apresentou IPA (obrigada, irmãos Dias) e que me colocou na roda de Wits (1ª impressão: gosto de sabão) e Rauchbier (que eu disse ter gosto de cinzeiro) – obrigada ao meu ex, Rafa.

Aí virei cervejeira real-oficial…

Em maio de 2015, quando ainda estava em outro portal e tinha como missão entrevistar uma cantora chamada Sharon Van Etten – procurem conhecimento -, soube que ela era sommelière de vinho – guardem essa info.

No mês seguinte estava desempregada, solteira num dia dos namorados sofrendo os diabos com os amigos em um show dela, a Sharon. E foi lá que pensei: "caceta, a mulher é sommelière… que foda… que bacana… que…EITA".

Dia seguinte procurei meu primeiro curso no Instituto da Cerveja Brasil, fui a melhor da turma de sommeliers, me formei Mestre em Estilos e acabei em outro de harmonização. Amor eterno, óbvio.

Minha paixão é tal que permeia o resto da vida. Converti mãe, amigos e caí de amores por um certeiro "Te chamo para um café ou para uma IPA?".

Jornalismo encontra… cerveja

Aqui no UOL, onde estou desde outubro de 2015, foi um ano de matérias em Comidas e Bebidas – hoje Receitas – sobre a bebida até sair o Siga o Copo, em setembro de 2017.

Quase dois anos depois, aqui estamos. Agora em Urban Taste, com um mercado fervilhando e muitas, mas muitas lembranças e personagens sensacionais dessa biografia cervejeira. A lista é gigantesca, mas só dou abraço sincero… então quem sabe, sabe.

No Dia Internacional da Cerveja, quero abrir minha latinha ou garrafinha sem neuras, encheções ou pedantismo. Quero comemorar tudo o que ela me trouxe de bom e dividir o que sei e não sei com amados, conhecidos e desconhecidos.

Um brinde pra você que chegou até o fim do texto 🙂

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.