Siga o Copo

Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Pode tomar vinho no copo americano? Sirva sem erros - ou afetação

Juliana Simon

2029-05-20T19:11:25

29/05/2019 11h25

O vinho pode ser símbolo de sofisticação e de lugares finos para muita gente, mas cada vez mais a bebida entra em casa para fazer a alegria de amigos, casais ou só para um – bem ao momento "ah, eu mereço".

A ideia de não "fazer feio", porém, colocou inúmeras regrinhas entre a garrafa e o gole mesmo para os mais descontraídos. Onde tomar? Como servir? E se eu não tiver o aparato enólogo todo em casa?

Veja também

Para ajudar a tranquilizar os bebedores, a sommelière da Wine.com.br, Ana Cristina Fulgêncio, compartilhou valiosas dicas para curtir o vinho e só esquentar a goela e o coração, mas não a cabeça.

Por que a taça ajuda?

O bojo permite que o vinho seja girado, interaja com o oxigênio, libere aromas e deixe a bebida mais agradável ao paladar.

Vidro, metal ou plástico?

O ideal mesmo é cristal (leve, translúcido), mas vidro é a escolha mais certeira para realmente degustar a bebida.

"O plástico pode ter algum cheiro que interfira nas sensações de aromas e sabores. O metal, por sua vez, não é translúcido e atrapalha ao analisar o visual da bebida e avaliar se tem alguma turbidez, por exemplo", diz Ana

Na falta de uma taça, é pecado recorrer a um copo normal mesmo?

Não, se o objetivo é curtir o vinho sem grandes formalidades ou não sendo uma degustação técnica, pode tranquilamente recorrer a um copo qualquer.

Existe taça ideal para cada tipo de vinho?

Sim 😉 Anote aí.

Vinhos tintos: taças com bojo maior (como a Bordeaux e Borgonha), para terem mais espaço para respirar e apresentar a complexidade de aromas e sabores.

Bordeaux: a borda mais fechada concentra aromas e o bojo comprido favorece a degustação de tintos produzidos com Cabernet Sauvignon, Merlot e outras castas típicas da região francesa;

Taça Bordeaux

Borgonha: o bojo ainda mais largo facilita a aeração do vinho, permitindo maior oxigenação e valoriza o caráter concentrado e complexo de vinhos elaborados, principalmente, com a Pinot Noir e outras variedades tintas igualmente delicadas.

Taça Borgonha

Vinhos brancos e rosés: Como são servidos em temperatura mais baixa, o bojo da taça deve ser menor e a haste um pouco mais longa para trocar menos calor com o ambiente.

Taça para vinho branco

Espumantes: o formato Flûte (flauta, em francês) permite observar as bolhas (a perlage), um dos indicadores de qualidade desse tipo de vinho. A forma alongada também ajuda a dar ênfase à efervescência e aos aromas da bebida.

Taça flute

Vinhos de sobremesa: os copos menores são ideais para servir a bebida mais intensa e concentrada.

Taça para vinhos de sobremesa

A polêmica taça ISO

Com formato menor e vidro incolor, a taça ISO (International Standards Organization), criada em 1970, serve para todos os tipos de vinho. É largamente utilizado em degustações técnicas, mas ainda é o horror dos puristas.

Hora do banho

Seja taça ou copo, o importante é estar limpinho e pecar nisso, além de mico, pode estragar o vinho. Por isso: não lavarás com sabão ou detergente com cheiro, que pode ficar impregnado na taça; enxaguarás bastante para tirar bem esse sabão e não secarás com panos que tenham algum cheiro.

Mesa em ordem

Você separou as taças ou copos bem limpinhos e não quer deixar as gotas de lembrança na mesa ou toalha? Conheça o corta-gotas, seu amigo.

São três modelos básicos:

1 – É só dobrar e encaixar no bico da garrafa e depois que usar é só lavar

2- Esse da foto abaixo é um corta-gotas externo. Para utilizar essa opção, basta prendê-la ao gargalo de modo que fique bem firme e sem espaço para os pingos passarem.

3- Outro exemplo de corta-gotas que encaixa no bico da garrafa.

 

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.