Siga o copo

PUBLICIDADE
Topo

Siga o Copo

Lúpulo também tem vez entre quem não quer ou não pode beber cerveja

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juliana Simon

22/10/2018 09h34

Quem não aprecia cerveja, não pode consumi-la ou simplesmente não está afim de beber álcool, mas ainda assim está doido para saber qual é a do lúpulo, ele também faz parte de outras opções para matar a sede.

Até o mais puro dos líquidos pode ganhar um toque de amargor: sim, nós temos água lupulada. Ideia da Cervejaria Araucária, de Maringá, a H2OP (brincadeira com a fórmula química da água H2O + o nome inglês do lúpulo "hop") já está entre nós.

A bebida, que surgiu como um experimento do cervejeiro Rodrigo Frigo, acabou virando coisa séria, gaseificada, enlatada e saudável – para quem não sabe, o lúpulo, ALÉM DE SER TOTALMENTE MARAVILHOSO, GOSTOSO E CHEIROSO, é rico em substâncias calmantes e antioxidantes.

Sem calorias, álcool, açúcar, alergênicos, lactose ou glúten, a bebida mostra que amargor e frescor do "temperinho da cerveja" pode ser muito mais explorado.

É saúde, é chá, é lúpulo

Para quem procura outras opções saudáveis e de sabores complexos, as maravilhas do lúpulo também chegam em forma de kombucha – bebida fermentada e probiótica à base de chá.

Júlia Reis, sócia e professora da Sinnatrah Cervejaria Escola, explica para mais para nós:

"O lúpulo, assim como frutas e especiarias, tem a função de dar aroma e sabor à kombucha. Ele é inserido num processo semelhante ao do dry hopping feito na cerveja, porém com o líquido a temperatura baixa, de 0°C a 4°C", diz.

Júlia geralmente usa variedades americanas do lúpulo, mais cítricas ou frutadas, como Ella, Amarillo e Citra. "Uso de 1g a 5g/litro e deixo apenas um dia infusionado na bebida. Ela fica levemente esverdeada – por isso costumo usar como base um chá verde, para manter uma linha de cores", conta.

Olho no álcool – e no produtor

Bebida da moda, a kombucha precisa ser bem feita para que não ultrapasse os 0,5% ABV – teor para que seja uma bebida não-alcoólica. Professora de um curso de produção da bebida, Júlia alerta: "Existem muitas marcas que estão adicionando muito açúcar e, como há uma fermentação alcoólica que ocorre na garrafa, se não é feito um controle mais rigoroso, a bebida ultrapassa esse nível", diz.

Tanto a água lupulada, como a kombucha, assim como chás de lúpulo são uma boa chance de não-cervejeiros entrarem em contato com o lúpulo, mas também aguçam os sentidos de "hopheads" e, se bem feita e equilibrada, acaba ficando com uma carinha de Session IPA.

Já está completamente apaixonado pela florzinha, leitor?

Quer fazer em casa?

Curso de Produção de Kombucha, da Sinnatrah Cervejaria Escola

O curso aborda o preparo, fermentação, equipamentos, controles de acidez e açúcar, sanitização, técnicas e cuidados com a carbonatação e a mistura com frutas para saborização. Preço: R$ 180. Agenda de próximas turmas no site

Onde encontrar as bebidas lupuladas?

H₂OP, da Cervejaria Araucária

Água Lupulada em lata de 350 ml. Preço sugerido: R$ 7. Onde encontrar: pontos cervejeiros de Maringá, Curitiba e São Paulo

Hoppiness, da STRAPPA Live Kombucha

 

Kombucha cervejeira com lúpulos utilizados em cervejas como IPAs e APAs. Sem álcool. Preço sugerido: R$ 16 (garrafa e copo de 300 ml) e R$ 10 (chope). Onde encontrar: pontos de venda no site

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.