menu
Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Cerveja melhor que político? No Outubro Rosa, ela faz a diferença

Juliana Simon

03/10/2018 08h27

Você já pode ter visto este título antes, talvez numa matéria dessa blogueira aqui sobre cervejas trapistas, antes de nascer o Siga o Copo. Não poderia ser resgatado em melhor momento: Outubro Rosa, um mês dedicado ao combate ao câncer de mama.

Não estamos falando de candidatos (olha que refresco, leitor), mas de cervejarias que estão usando a bebida como agente social, de conscientização, prevenção e ação sobre a doença.

Brassar e agir

Entre uma das várias ações que vão ocorrer pelo Brasil, se destaca a cerveja Batom Vermelho. A Catharina Sour com maracujá e hibisco foi resultado da união de confrarias e coletivos femininos para celebrar a data.

São elas: Maria Bonita Beer – Recife PE (48 integrantes), Puro is Malte – Petrolina PE (13 integrantes), Lupulindas – Belém PA (17 integrantes), Batom Malte – Macapá AP (16 integrantes), Confradelas – Fortaleza CE (72 integrantes), Tulipas Salvador – Salvador BA (21 integrantes), Amazonas Cervejeiras – Manaus AM (11 integrantes), The Queens – Natal RN (16 integrantes), Däs Könfrädessäs – Brasília DF (16 integrantes), Ceva das Minas – Porto Alegre RS (80 integrantes), Minas Cervejeiras – Belo Horizonte MG (50 integrantes), Confraria Cervejeira Mulheres do Malte – Rio de Janeiro RJ (30 integrantes), Beba como uma Garota – Juiz de Fora MG (8 integrantes), Cervejeiras Cariocas – Rio de Janeiro RJ (12 integrantes), ELA – Vários estados (30 integrantes), Ordem das Cervejeiras – Florianópolis SC (10 integrantes), Confece – Belo Horizonte MG (10 integrantes), MovCeu – Uberlândia SP (12 integrantes), Capixabeer – Vitória ES (17 integrantes) e Fulô de Mandacaru – João Pessoa PB (7 integrantes). Ufa!

Idealizada pela Confraria Maria Bonita Beer e em parceria com a Cervejaria Dádiva, foram produzidos 2 mil litros da bebida e com as vendas (com data ainda não anunciada), a união das poderosas espera compartilhar informações básicas sobre a prevenção desse câncer, além de arrecadar dinheiro para instituições que trabalhem com a prevenção.

A cerveja levou o nome Batom Vermelho por representar a importância da valorização da autoestima feminina, especialmente das que passam por tratamento contra o câncer.

Inspirações

Há três anos, a confraria Maria Bonita participa da brassagem do dia da mulher da PBS – Pink Boots Society, uma ONG americana que trabalha pela profissionalização da mulher no mercado cervejeiro.

"Infelizmente os braços da ONG não chegam aqui no Brasil. E desde então que pensamos em fazer algo brasileiro", conta Nadhine França, analista de sistemas, cervejeira caseira, diretora da confraria e idealizadora do projeto.

A produção foi feita com os moldes parecidos com o que foi o Coletivo ELA, que, em 2016, produziu uma cerveja no estilo Barley Wine para arrecadar dinheiro para instituições contra a violência contra a mulher.

A Batom Vermelho é só o 1º passo para uma Associação Feminina Cervejeira, que pretende "disseminar a cultura cervejeira, fomentar a profissionalização da mulher no meio cervejeiro, promover o consumo consciente, realizar medidas contra o machismo tanto no ambiente profissional, quanto nos ambientes de consumo".

Mais iniciativas

Outra iniciativa especial para o mês é a da Way Beer, de Curitiba, que criou um copo especial com o símbolo do Outubro Rosa. A verba arrecadada com a venda, será revertida para a Liga Paranaense de Combate ao Câncer. É possível encontrar os copos na própria cervejaria ou em parceiros da Way por R$ 5.

Além disso, no dia 27 de outubro, a cervejaria vai promover o Saturday Way Outubro Rosa com chope rosa (Pink IPA), feito especialmente para o mês de outubro.

A Daoravida, de Campinas, também está fazendo a sua parte e terá em seu taproom doação de cabelo e lenços, além de compra de camisetas para a ONG Alara.

Aquela sua cervejaria do coração pode ser um pontinho de mudança – e não precisa de horário político para te convencer a participar.

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.