Siga o copo

PUBLICIDADE
Topo

Siga o Copo

Por que o reality da Eisenbahn não tem mulher? Marca responde ao blog

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juliana Simon

09/11/2017 18h45

Há três semanas, quando estreou o reality show Eisenbahn Mestre Cervejeiro, o que chateou muita gente – inclusive esta blogueira – foi a ausência de mulheres entre os competidores.

Veja também

Mas como nem só de revolta vive o mundo, a cervejaria foi indagada por este blog sobre o número de inscritas no concurso. A Eisenbahn revelou que somente 6% das amostras enviadas para o concurso foram produzidas por mulheres e eliminadas por testes físico-químicos e por análises sensoriais, antes da fase "televisiva" da disputa.

Segundo a idealizadora do reality, as amostras das cervejas foram avaliadas às cegas, por um júri composto por especialista em cervejas artesanais, sem nenhum tipo de separação ou identificação por sexo do participante. A identidade dos inscritos foi conhecida apenas após a aprovação de suas amostras por quesitos técnicos.

Mas onde estão elas?

Para quem está nos círculos cervejeiros, não é difícil perceber que a participação feminina ainda perde – e muito – para a dos meninos, seja nos cursos de sommelieria e mestre-cervejeiro, ou mesmo nas confrarias, casas especializadas e demais pontos de encontro de apaixonados pela bebida.

No reality, não é diferente. Pouquíssimas mulheres inscreveram suas produções para um concurso concorridíssimo. Como chegar tão longe com um "time" tão desfalcado?

Já passou da hora de cervejeiras enfrentarem um cenário majoritariamente masculino e investirem em suas produções até chegarem a lugares de maior exposição, como um programa de TV.

E a Eisenbahn garante que está de braços abertos para as mestras:

"Com o objetivo de aumentar o número de mulheres nas próximas edições do concurso, a Eisenbahn está trabalhando para desenvolver alguns projetos que venham a estimular o aumento da participação feminina no universo cervejeiro".

Aguardemos.

Se a ideia é deixar o cenário cervejeiro mais variado e inclusivo, quem quer conquistar território também precisa dar seus passos e aproveitar grandes chances. Do contrário, será mesmo um eterno mundo de barbudos.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.