Siga o copo

PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Siga o Copo

O clássico do boteco, Rabo de Galo quer conquistar o mundo

Juliana Simon

14/11/2018 10h26

(Crédito: Divulgação)

Uma combinação simples (cachaça e vermute) e um sucesso de décadas. Se você nunca tomou, pelo menos já ouviu falar muito do Rabo de Galo. Com 64 anos de história, o drinque nasceu em São Paulo com ajuda dos imigrantes italianos, mas quer muito mais que os botecos e bares da capital paulista.

"Quem tem 40, 50 anos tem uma história com o Rabo de Galo. O problema é o público mais novo, que precisa ser integrado", conta Mestre Derivan ao Siga o Copo. Ao lado de Daniel Júlio, o prestigiado barman acredita na força do Rabo de Galo para chegar ao reconhecimento da Caipirinha como drinque brasileiro e anima a II Concurso Nacional do Rabo de Galo, no dia 3 de dezembro, em São Paulo (serviço lá embaixo*).

Clássico x releituras

Para Derivan, é necessário batalhar para que a receita clássica seja espalhada e reproduzida. E isso acontece com a ajuda de grandes nomes da coquetelaria brasileira como Spencer Jr, Josefran Martins, Márcio Silva, Laércio Zulu e Marcelo Serrano que circulam pelos copos de Londres a Ibiza.

Porém, a possibilidade de variar em cima do drinque é a chave para conquistar o público mais jovem e ávido por novidades. "Hoje, o profissional pesquisa muito e inova ao produzir os próprios insumos e ingredientes, como o próprio vermute, bitters fantásticos, matérias primas brasileiras", diz Derivan, que aposta na "cara sofisticada ao drinque popular".

"Há alguns anos, um bartender jamais queria ser reconhecido como o rei da Caipirinha. Hoje, muitos querem ser conhecidos com drinques de cachaça", lembra Derivan.

Galo nas Cabeças?

O objetivo da união dos bartender é que o Rabo de Galo entre na lista da IBA – International Bartenders Association como segundo drinque brasileiro e entre os quase 100 considerados os clássicos do mundo.

"Já temos a caipirinha, mas podemos ter mais, como EUA, Inglaterra e Itália, que têm vários. Mandamos as receitas, mas as mudanças levam alguns anos. É igual à FIFA", brinca.

Boteco, bar, casa… em qualquer lugar

Perguntado qual considera a experiência ideal para provar um bom Rabo de Galo, Derivan mostra que o drinque, além de pop, é fácil: "Poderá tomar no seu happy hour e também para um momento antes de refeição, para despertar o apetite e sensibilidade, como um Negroni, Mahattan ou Dry Martini".

Quer fazer em casa?

RABO DE GALO BY FRANCISCO GUERREIRO

Ingredientes:
50 ml de cachaça
30 ml de vermute Rosso
1 Colher de Vinho do Porto Vintage
1 Zest de laranja

Modo de preparo:

Preparado no copo mixglass. Serve-se em taça de cocktail .Decorar com um casca de laranja

RABO DE GALO Tradicional

Ingredientes:
50 ml de Cachaça
30 ml de vermute Rosso

Modo de preparo:

Preparado no copo mixglass. Serve-se em taça de cocktail. Decorar com uma casca de laranja

*II Concurso Nacional do Rabo de Galo

Data: 3 de Dezembro de 2018
Horário: das 13h às 20h
Local: Leques Brasil Hotel Escola – R. São Joaquim , 216 – Liberdade
Entrada gratuita (proibido para menores de 18 anos)

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.