Siga o copo


menu
Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

O clássico do boteco, Rabo de Galo quer conquistar o mundo

Juliana Simon

2014-11-20T18:10:26

14/11/2018 10h26

(Crédito: Divulgação)

Uma combinação simples (cachaça e vermute) e um sucesso de décadas. Se você nunca tomou, pelo menos já ouviu falar muito do Rabo de Galo. Com 64 anos de história, o drinque nasceu em São Paulo com ajuda dos imigrantes italianos, mas quer muito mais que os botecos e bares da capital paulista.

"Quem tem 40, 50 anos tem uma história com o Rabo de Galo. O problema é o público mais novo, que precisa ser integrado", conta Mestre Derivan ao Siga o Copo. Ao lado de Daniel Júlio, o prestigiado barman acredita na força do Rabo de Galo para chegar ao reconhecimento da Caipirinha como drinque brasileiro e anima a II Concurso Nacional do Rabo de Galo, no dia 3 de dezembro, em São Paulo (serviço lá embaixo*).

Clássico x releituras

Para Derivan, é necessário batalhar para que a receita clássica seja espalhada e reproduzida. E isso acontece com a ajuda de grandes nomes da coquetelaria brasileira como Spencer Jr, Josefran Martins, Márcio Silva, Laércio Zulu e Marcelo Serrano que circulam pelos copos de Londres a Ibiza.

Porém, a possibilidade de variar em cima do drinque é a chave para conquistar o público mais jovem e ávido por novidades. "Hoje, o profissional pesquisa muito e inova ao produzir os próprios insumos e ingredientes, como o próprio vermute, bitters fantásticos, matérias primas brasileiras", diz Derivan, que aposta na "cara sofisticada ao drinque popular".

"Há alguns anos, um bartender jamais queria ser reconhecido como o rei da Caipirinha. Hoje, muitos querem ser conhecidos com drinques de cachaça", lembra Derivan.

Galo nas Cabeças?

O objetivo da união dos bartender é que o Rabo de Galo entre na lista da IBA – International Bartenders Association como segundo drinque brasileiro e entre os quase 100 considerados os clássicos do mundo.

"Já temos a caipirinha, mas podemos ter mais, como EUA, Inglaterra e Itália, que têm vários. Mandamos as receitas, mas as mudanças levam alguns anos. É igual à FIFA", brinca.

Boteco, bar, casa… em qualquer lugar

Perguntado qual considera a experiência ideal para provar um bom Rabo de Galo, Derivan mostra que o drinque, além de pop, é fácil: "Poderá tomar no seu happy hour e também para um momento antes de refeição, para despertar o apetite e sensibilidade, como um Negroni, Mahattan ou Dry Martini".

Quer fazer em casa?

RABO DE GALO BY FRANCISCO GUERREIRO

Ingredientes:
50 ml de cachaça
30 ml de vermute Rosso
1 Colher de Vinho do Porto Vintage
1 Zest de laranja

Modo de preparo:

Preparado no copo mixglass. Serve-se em taça de cocktail .Decorar com um casca de laranja

RABO DE GALO Tradicional

Ingredientes:
50 ml de Cachaça
30 ml de vermute Rosso

Modo de preparo:

Preparado no copo mixglass. Serve-se em taça de cocktail. Decorar com uma casca de laranja

*II Concurso Nacional do Rabo de Galo

Data: 3 de Dezembro de 2018
Horário: das 13h às 20h
Local: Leques Brasil Hotel Escola – R. São Joaquim , 216 – Liberdade
Entrada gratuita (proibido para menores de 18 anos)

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.