Siga o copo


menu
Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Na Itália de lá e daqui: cervejaria faz o “beba local e leve para o mundo"

Juliana Simon

2012-11-20T18:09:19

12/11/2018 09h19

(Crédito: Instagram)

Entre promover cultura cervejeira em um bairro tradicionalíssimo de São Paulo e levar sua paixão cervejeira para receitas animadas do outro lado do Atlântico, a Cervejaria Daoravida escolheu as duas.

Cervejeiro da marca de Campinas, Wagner Falci contou ao Siga o Copo as frentes de conquista de novos públicos para a cerveja brasileira.

Beba local, mêo

Local onde muito se bebe e quase tudo se encontra em termos de cerveja, São Paulo já tem um eixo-cervejeiro de peso na região de Pinheiros.

Foi fugindo de um público óbvio e procurando outros ares que a Daoravida cravou pés em um novo taproom na Mooca – um dos bairros mais tradicionais da cidade, conhecido por seu italianado jeitinho, acolhimento e simpatia.

Wagner, Michele e Ricardo, os sócios da Daoravida (Crédito: Daniel Gallo)

Poucas e ótimas torneiras de criações próprias, atendimento com moquenses da nata, parceria com empresas do bairro e frequentadores que simplesmente colam no balcão para conhecer o pequeno espaço que surgiu no coração do bairro.

(Para quem procura mais pegadas cervejeiras "fora do eixo" Pinheiros, fica a dica de outros lugares em São Paulo: a unidade da Mooca do Cateto; a Casa Avós (que voltou depois de reforma), na Vila Ipojuca; o Soul Botequim, na Cidade Monções-Brooklin; Capitão Barley, na Água Branca; e Tarantino Cervejaria, no Limão)

No painel de torneiras, a "não é pilsen" Canela Fina chama atenção e revela as intenções do local. "Muitos chegam aqui e só leem pilsen. Depois que percebem que 'não é pilsen', começa a conversa sobre as outras muitas opções para quem gosta de cerveja", conta Wagner.

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Uma publicação compartilhada por daoravidanamooca (@daoravidanamooca) em

Em quatro meses de bar em Campinas e uma semana em São Paulo, as expectativas de animar a cultura cervejeira para "não iniciados" e entusiastas são enormes.

A Itália de lá

Da Mooca para a cidade de Parma, a Daora levou este ano, pela segunda vez, a cara de Brasil para Birrificio Del Ducato – uma das cervejarias mais prestigiadas da Itália e da Europa.

O dono da marca, Giovanni Campari, se apaixonou pela Juicy Session IPA MININE e surgiu o convite para colaborativas, como a Brazilian Juicy IPA Akaya com cajá, em agosto de 2017.

Este ano, mais uma viagem gerou a Uruvaia, do mesmo estilo com lichia em parceria com a Ducato; uma Juicy Session IPA com Graviola e limão siciliano com a La Fucina (Pescolanciano); uma Catharina Sour com goiaba e côco com a Babylon (Villa Pigna); uma Belgian Tripel com a Terre di Faul (Viterbo); uma Brut IPA com acerola com a Busa dei Briganti (Padova); outra Brazilian Juicy Ipa com cajú com a Oltremondo (Codogno); e uma Stout com mix de pimentas brasileiras defumadas com a Birrificio di Legnano (Legnano).

Deu até para dar um pulinho na Ucrânia, onde a Daora brassou uma Catharina Sour com uva, com a Varvar, uma das 30 cervejarias artesanais do país.

Nós daqui, eles de lá: todos juntos

E quem pensa que a Itália enfrenta menos desafios por estar lá no G7, se engana. Terra de vinhos, que só pagam um imposto comercial, o país ainda engatinha para espalhar as cervejas pela bota.

Atualmente a Itália possui aproximadamente 650 cervejarias independentes e algumas estão conquistando cada vez mais espaço.

Ainda assim, é também região de cervejeiros curiosos e parceiros, como conta Wagner. E assim ajudam a dar aquela força para os brasileiros que também se animam com receitas fora da tradição. Como a Daora, outras cervejarias queridas dos artesanais, como Dádiva e Avós, estão espalhando o nome e a criatividade brazuca em parcerias. O resultado Wagner crava:

"A cerveja brasileira está ganhando público e respeito"

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista da Universa, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

Representando quase metade do mercado consumidor da cerveja, as mulheres estão conquistando espaços inéditos neste mundo. Seja como mestres cervejeiras, sommelières, “confrades” ou apaixonadas pela bebida mais popular do Brasil e do mundo. É o espaço para dicas, novidades, provocações e reportagens descontraídas para quem já adora ou quer saber mais sobre este universo.