Siga o copo

PUBLICIDADE
Topo

Siga o Copo

Happy hour em casa veio para ficar? Melhor bartender do ano faz previsões

Conteúdo exclusivo para assinantes

Juliana Simon

07/07/2021 04h00

Bianca Lima (Crédito: Divulgação/Diageo)

Em mais de um ano e meio que muitos ficaram – e uns outros tantos permanecem – em casa, tomar uns bons drinques nunca foi tão estranho. Do outro lado do balcão, a vida não foi lá tão diferente e bartenders se viraram nos 30 para sobreviver, criar e fazer a alegria dos bebedores.

Escolhida a melhor bartender do Brasil no World Class Competition 2021 em formato virtual, Bianca Lima participou da etapa mundial, mas não ficou entre os 9 homens e uma mulher finalistas da competição que acaba nesta quinta (8).

Leia também

A bartender mudou…

À frente do Wills Bar, em Porto Alegre, e entre coquetéis engarrafados, campeonatos e muito conteúdo para redes sociais, Bianca se reinventou como muitos – e teve uma guinada profissional como poucos nesta pandemia.

Tive que entender como a minha profissão pode sobreviver fora da barra e, como nós, bartenders, podemos ser influenciadores, empreendedores e, até mesmo, um pouco apresentadores de talk show", relembra.

Outro ponto que mudou a vida de todos os bartenders foi o público isolado em casa e mais interessado em combinações prontas, propostas por bares com esquema delivery, e, para Bianca, sem hora para acabar – até porque os bares como conhecemos não devem voltar tão cedo.

"Criou-se a cultura de beber bons drinques em casa e isso não vai deixar de acontecer no pós pandemia e os bares e bartenders que oferecem esse serviço vão sempre ser um diferencial".

O bebedor se renovou…

Além disso, outro caminho sem volta é o interesse geral em "atacar de bartender" em casa.

"As pessoas querem continuar se divertindo e curtindo bons momentos. Os drinques proporcionam isso e devem fazer parte cada vez mais parte do nosso novo estilo de vida", diz Bianca.

O que a melhor do Brasil indica para você, que não domina a coqueteleira? Os clássicos:

um bom Negroni ou um Carajillo são bons para noites frias. Já para dias quentes, os Gin & tônicas e Spritz costumam agradar".

O campeonato "virtualizou"

Quem já viu uma competição de bartenders pode dizer: é um espetáculo. Em 2019, Siga o Copo acompanhou de perto a final que consagrou Gabriel Santana como melhor do país e é difícil pensar em todo aquele show reduzido a uma telinha no celular ou computador.

Mas foi o jeito.

Em 2020 o campeonato foi suspenso e em 2021 voltou em vídeos dos candidatos, com jurados isolados por placas de acrílico e público cada um em seu quadrado.

Legendary Journey, drink que contribuiu para que Bianca Lima levasse o título para casa

"Foi um desafio diferente do que todos esperávamos e encarar esse novo formato e colher bons frutos disso foi muito legal, nos fez realmente enxergar nossa profissão de uma maneira diferente", conta Bianca, que agora divide o Olimpo de mulheres mestras e campeãs da coquetelaria, como Talita Simões (2011) e Adriana Pino (2018).

"Bebedora de fases", Bianca é fã dos drinques secos – hoje está na linha dos martinis – e já tem planos para quando "tudo isso passar": uma visita à rede The Alchemist, do Reino Unido, famosa por suas criações longe do óbvio e inspiração para a bartender – que ganhou no Brasil com um drinque inspirado no folclore nacional.

Eu me apaixonei de longe por esse local e pretendo, com certeza, conhecer eles e muitos outros assim que tudo passar".

Viver de bebida não é (só) beber

Acostumada com noites e fins de semana atribulados, Bianca assume que a rotina tem nada de regrada, mas na hora de falar de seu material de trabalho (álcool) a responsabilidade é total.

Ser bartender não é sobre consumir álcool todos os dias ou de forma exagerada, nós somos responsáveis por conscientizar as pessoas sobre o consumo correto e também consciente, então tudo isso começa por nós, atrás do bar", conta.

"É muito bom quando eu consigo sair de trás do balcão para visitar outros bares, conhecer um pouco do trabalho de outras pessoas e, até, mesmo no meu próprio bar. Foi exatamente isso que fez eu me apaixonar pelo bar, essa alquimia linda que acontece no ambiente", afirma.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.