Siga o Copo

Topo
Siga o Copo

Siga o Copo

Hidromel se renova e conquista público além dos "vikings modernos"

Juliana Simon

03/10/2019 10h26

Degustação de hidroméis OldPony na meca cervejeira Empório Alto de Pinheiros (Crédito: Ju Simon)

No Dia Nacional da Abelha e depois das cervejas com adição de mel, é a vez do hidromel ganhar uma análise mais cuidadosa do Siga o Copo. Vai ter mel de novo SIM!

Bastante popular entre os apaixonados pelas culturas viking, medieval e geek – Game Of Thrones, olar -, a bebida, até pouco tempo, ficava restrita a esses círculos e sofria com produções bastante amadoras. Há menos de dez anos, ela ganhou um boom de popularidade nos EUA e hidromelarias pipocaram com receitas inovadoras.

Veja também

Como a cerveja, o vinho e muitas outros, o hidromel tem suas geniais peculiaridades – e é mais versátil que muita gente pensa.

Saiba tudo o que você sempre quis saber sobre a bebida, mas sempre teve medo de perguntar pro seu amigo viking moderno. Nesse caso, contamos com a santa ajuda da hidromelaria Old Pony, na ativa desde 2013 com produções artesanais. 

Hidroméis, braggots e até vinagres da OldPony (Crédito: Ju Simon)

O que é hidromel?

Segundo a legislação brasileira, é um fermentando a base de água, mel e leveduras entre 4% a 14% ABV.

São todos iguais?

Nananinanão. Existem variações como dulçor mais elevador (como o OldPony Elfic) e mais seco, como o OldPony Dwarfic. Estes recebem mel de laranjeira, que dá notas de frutas amarelas. Mas há também hidromel doce à base de mel de eucalipto (Aegir).

Existem estilos de hidromel?

Sim! E são tão curiosos quanto os de cerveja, por exemplo. Pela legislação, não são reconhecidos como hidromel e sim como Bebidas Alcoólicas Mistas.

Melomel: hidromel com frutas

Braggot: mezzo cerveja <3 , mezzo hidromel

Metheglin: hidromel com ervas e especiarias

Há regras de como servir?

Via de regra, não. Taças de vinhos ou até mesmo em shots aceitam a bebida. Se quer algo mais "raiz",  vale tirar o pó de seu drinking horn (chifre de boi). Puro, com gelo ou até mesmo em drinques a base de frutas são possíveis.

Como harmonizar?

Para quem está começando, uma boa dica é usar as mesmas regras do vinho. Já para quem não tem medo de experimentar, até mesmo um hidromel tradicional suave pode ser servido com carne de porco ou até mesmo carnes de caça.

Além do básico

Se a bebida é boa, tudo fica bom. Mas com boas histórias, ela só pode ficar ótima. E o hidromel conta com várias delas para um papo de bar sem fim.

Dizem, por exemplo, que o termo "Lua de Mel" vem do costume de o pai da noiva oferecer ao casal um lote de hidromel para ser consumido nos 30 dias (um ciclo lunar completo) imediatos ao casamento. A bebida ajudaria na fertilidade do casal para a geração do primeiro filho.

(Crédito: Unsplash)

E desculpem apaixonados pela cultura escandinava, mas as primeiras evidências arqueológicas para a produção de hidromel datam do século 7 a.C. na China.

E mais: existem relatos de uma bebida similar ainda mais distante na linha do tempo na Mesopotâmia, Babilônia, e entre gregos, romanos, celtas, hindus e até mesmo entre os maias.

Tem hidromel para todo mundo!

COMO ESTAMOS BLOGUEIRANDO? Críticas, elogios, sugestões, desabafos? Aceitamos em InstagramFacebook e até no Untappd.

Sobre a autora

Juliana Simon é jornalista do UOL, sommelière de cervejas, mestre em estilos e especialista em harmonização pelo Instituto da Cerveja Brasil.

Sobre o blog

O Siga o Copo é espaço para dicas, novidades e reportagens para quem já adora ou quer saber mais sobre o universo cervejeiro e de mais bebidas.